Problemas Comuns

Quando nossos filhos são bem pequeninos, todo o cuidado é pouco. Buscamos a todo momento evitar que quaisquer coisas aconteçam a eles. As quedas, no entanto, representam uma das maiores causas de busca do pronto atendimento ao neurocirurgião pediátrico.

A estenose do aqueduto é uma desordem que bloqueia a passagem do líquido cefalorraquidiano pelo cérebro. Isso ocorre por causa da obstrução do ducto mesencefálico durante a formação cerebral do bebê. Os agravantes causados pelo acúmulo do fluído podem evoluir para uma hidrocefalia.

O aneurisma cerebral infantil é uma condição rara que afeta crianças de até 10 anos. Casos de suspeita de dilatação da artéria cerebral devem ser investigados e tratados o mais rápido possível.

O glioma de baixo grau em pediatria consiste na divisão lenta de células cerebrais, responsáveis pela formação de tumores. A mais comum é o astrocitoma, condição que pode ser tratada por meio de procedimentos cirúrgicos ou por quimioterapia e radioterapia.

A lipomielocele é uma desordem que provoca a malformação da coluna vertebral. Nesse tipo de disrafismo espinhal, o paciente manifesta lesões na região lombar, conhecidas também como lipomas. Essa condição, se não tratada com rapidez, pode provocar agravamentos neurológicos e na mobilidade, ainda nas primeiras semanas de vida do recém-nascido.

A espasticidades é uma grave condição causada por doenças neurológicas. Ela causa significativas alterações no tônus muscular. Em virtude disso, o paciente sofre com rigidez, limitação de mobilidade, má postura e dores musculares. Esse distúrbio não é necessariamente uma doença, mas é um sintoma que acompanha uma patologia neurológica, tal como paralisia cerebral, AVC, entre outros.

O recém-nascido prematuro está sujeito a padecer por alguns agravamentos, já que seu organismo ainda não foi desenvolvido por completo. Um dos problemas mais comuns é a hemorragia da prematuridade, que atinge cerca de 20% dos bebês nascidos abaixo de 34 semanas de vida gestacional.

A esquizencefalia é uma desordem neurológica que acomete fetos entre o terceiro a quarto mês de gestação. Essa anomalia é caracterizada pelo surgimento de fendas nos hemisférios cerebrais. Por sua vez, elas podem ocasionar uma série de sintomas como retardamento, paralisia parcial ou total e ataques convulsivos.

Hospitais cadastrados